Bahia foi estado que mais investiu em proporção às receitas entre janeiro e abril

Foto: Carol Garcia/GOVBA/Registo
O secretário da Quinta do Estado, Manoel Vitório 22 de junho de 2022 | 21:00

Bahia foi estado que mais investiu em proporção às receitas entre janeiro e abril

A Bahia destinou 10% das suas receitas correntes para investimentos entre janeiro e abril de 2022, alcançando no período o maior índice do país entre os estados, de pacto com a Secretaria do Tesouro Pátrio (STN). Os dados foram divulgados no Relatório Resumido da Realização Orçamentária (RREO) publicação que apresenta as informações fiscais consolidadas dos entes da federação.

Em segundo lugar ficaram Alagoas, Espírito Santo e Maranhão, todos com investimento correspondente a 9% das receitas, e em terceiro, com 8%, Mato Grosso do Sul, Piauí e Santa Catarina. Entre os maiores estados brasileiros, o índice ficou muito aquém: Minas Gerais investiu 5% das receitas, São Paulo 3% e Rio de Janeiro somente 2%. O relatório leva em conta os valores de investimentos já liquidados.

A Bahia investiu R$ 1,4 bilhão, em valores liquidados, nos primeiros quatro meses deste ano. Desde 2015, os investimentos do governo baiano em áreas uma vez que infraestrutura, mobilidade, estradas, saúde, instrução, segurança e lavoura, entre outras, já totalizam R$ 19,4 bilhões. Levante totalidade mantém a Bahia em segundo no ranking de investimentos entre os estados brasileiros no período, ficando detrás somente de São Paulo.

Em termos proporcionais, o governo baiano segue investindo mais que o paulista. Com um orçamento cinco vezes maior, São Paulo desembolsou R$ 57,9 bilhões em investimentos, o que corresponde a somente o triplo do valor registrado pelo Estado da Bahia.

Rio de Janeiro (R$ 15,7 bilhões), Ceará (R$ 15,4 bilhões) e Minas Gerais (R$ 14,3 bilhões) completam o ranking dos cinco estados que mais investiram desde 2015 em valores liquidados, de pacto com dados extraídos do Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasílio – Siconfi, também gerenciado pela STN.

Protótipo de gestão

Estes resultados, de pacto com o secretário da Quinta do Estado, Manoel Vitório, foram alcançados graças à economia real de R$ 9 bilhões entre 2015 e 2021, proporcionada pelo Programa de Qualidade do Gasto Público, e às demais estratégias reunidas no Protótipo Bahia de Gestão, uma vez que a modernização do fisco e o combate à sonegação. O protótipo foi lançado em 2015, na primeira gestão do governador Rui Costa, e aprimorou estratégias de qualificação do gasto público que vinham sendo desenvolvidas já no governo anterior, de Jaques Wagner.

“A despeito da persistente crise econômica no país e da escassez de estratégias efetivas para a retomada do desenvolvimento, o governo da Bahia vem mantendo suas contas em estabilidade e o fôlego para expandir a capacidade de atuação do Estado”, afirma Vitório. O propósito do protótipo baiano, enfatiza, “é o foco em investimentos que fazem diferença na vida das pessoas”.

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram