COB assina congraçamento com Saint-Ouen para ser base do Brasil nos Jogos Olímpicos Paris-2024

Saint-Ouen-sur-Seine será a morada do Brasil nos Jogos Olímpicos Paris 2024. O município de quase 50 milénio habitantes, no setentrião da capital francesa, será a base de base do Comitê Olímpico do Brasil (COB). Localizada a 600 metros da futura Vila Olímpica, a cidade foi escolhida pela proximidade e pelas instalações que oferecerá à delegação brasileira. O congraçamento com a Prefeitura foi firmado na quinta-feira (16). O evento teve música e iguarias brasileiras, além da presença de autoridades e de atletas.

Saint-Ouen-sur-Seine será a morada do Brasil nos Jogos Olímpicos Paris 2024. O município de quase 50 milénio habitantes, no setentrião da capital francesa, será a base de base do Comitê Olímpico do Brasil (COB). Localizada a 600 metros da futura Vila Olímpica, a cidade foi escolhida pela proximidade e pelas instalações que oferecerá à delegação brasileira. O congraçamento com a Prefeitura foi firmado na quinta-feira (16). O evento teve música e iguarias brasileiras, além da presença de autoridades e de atletas.

Evitar tempo de deslocamento das delegações foi um dos critérios da escolha. Situada no departamento de Seine-Saint-Denis, nos periferia de Paris, Saint-Ouen atende à demanda. O COB terá cinco instalações à disposição dos atletas e suas equipes na cidade: o Château Saint-Ouen, a Escola Petit Prince, o Parque das Docas, o Ginásio das Docas e a Serra Wangari, uma espécie de estufa que foi reformada e transformada em sala de convenções, onde aconteceu a assinatura do documento solene da parceria. O lugar irá concentrar a operação de uniformes durante os Jogos Olímpicos, que terá mais de 40 milénio peças.

A procura pela cidade que serviria de base para o COB começou em 2019. A primeira visitante técnica ocorreu em 2020. Em 2021, houve reuniões com as diversas confederações e novas visitas. A validação jurídica e a assinatura de contrato só foram efetivadas em 2022. O investimento de R$ 2,5 milhões será dividido entre o COB e o município.

Em entrevista àRFI, o presidente do COB, Paulo Wanderley Teixeira, explicou algumas das exigências da delegação brasileira, que vão desde áreas de trabalho, locais para organização e distribuição de material, serviços médicos e psicológicos, produção de vídeos, máquinas de lavar roupa e espaços para os atletas receberem amigos e familiares, com comida brasileira.

“É um marco para nós. Depois de visitar e consultar outras instalações, esta foi a mais apropriada para ser a morada dos nossos atletas cá na França”, disse Wanderley. “É um espaço que nos contempla em todas as nossas necessidades. São cinco locais distintos, mas todos próximos, que nos facilita no atendimento ao desportista, a secção médica, o treinamento e a estrutura de logística que importa aos nossos atletas, além de um restaurante brasílio”, acrescenta.

História com o Brasil

O prefeito de Saint-Ouen, Karim Bouamrane, destacou que a parceria marcará uma geração. Em nome dos moradores, ele disse se sentir “honrado de grafar uma página da história com o Brasil”. “Receber uma delegação faz secção da ininterrupção do pregão dos Jogos Paris-2024, com a implicação do nosso território. Mas, o que é histórico, é o indumento de que seja uma pátria assim grande e importante porquê o Brasil, no projecto esportivo, no projecto cultural e intelectual”, disse. “O indumento de que um país dessa envergadura mundial resida em Saint-Ouen, por algumas semanas, representa um momento poderoso”, completa.

O prefeito ainda elogiou a troca cultural entre os dois países. “Espalhar formosura devolve o orgulho à cidade, e o belo é encarnado pelo Brasil e o Brasil vai se instalar em Saint-Ouen em nível cultural”, afirmou Bouamrane. “Historicamente, nós sempre tivemos um vínculo com os artistas brasileiros. O Seu Jorge já tocou cá, muitos artistas tropicalistas engajados, Gilberto Gil, uma cultura brasileira poderoso que nós também compartilhamos”, observou.

De congraçamento com o prefeito, Saint-Ouen tem muitas semelhanças com o país que vai hospedar. “Nós temos mais de centena nacionalidades na cidade. Logo, é muito miscigenado culturalmente. E quando você vai ao Brasil, é exatamente isso que você encontra”, afirma. “E temos um ponto em geral. Os brasileiros são todos mestiços e brasileiros, nós somos todos mestiços e Audoniens. E todos franceses”, concluiu.

Atletas aprovam

As etapas classificatórias para os Jogos Olímpicos Paris-2024 só começam no ano que vem. Mas o Brasil poderá recontar com uma delegação entre 250 e 300 atletas. A maioria ficará em Saint-Ouen, porquê a esgrimista Nathalie Moellhausen, medalha de ouro no Campeonato Mundial de 2019. A desportista ítalo-brasileira mora em Paris e vai competir no Grand Palais, na capital, onde serão realizados os duelos de sua modalidade. “Eu estou achando incrível. É a primeira vez que venho, eu moro cá em Paris, eu estou achando as instalações impressionantes. Estou adorando”, disse a desportista que foi eliminada na estreia, nos Jogos de Tóquio.

“Eu nasci na Itália, de secção de mãe eu sou brasileira. Eu vim morar cá na França quando eu tinha 20 anos, pela esgrima e para estudar Filosofia na Sorbonne”, conta em entrevista à RFI. Logo, a França sempre foi o ponto meão. Quando mudei de bandeira e decidi simbolizar o Brasil, continuei morando na França, porque é a minha escola, é a esgrima que eu desenvolvi nos principais anos da minha curso”, diz. “Eu moro em Paris há mais de 15 anos e posso me considerar um pouquinho francesa também. Eu só podia simbolizar a Itália porque é meu país de promanação e o Brasil por que eu tenho a dupla nacionalidade”, explica a desportista que veio saber as novas instalações do Brasil em Saint Ouen.

O vice-campeão mundial de tiro com círculo, Marcus D’Almeida, também participou da cerimônia. “Muito legítimo, nós demos uma volta para saber a cidade e parece que os planos para o time Brasil são os melhores possíveis para quando chegarmos perto dos Jogos, nós termos toda a infraestrutura para atingirmos melhores resultados”, disse. “No ranking mundial, eu sou atualmente o sexto, portanto estou trabalhando para continuar subindo e chegar nas Olimpíadas muito poderoso e trazer essa tão sonhada medalha que a gente não tem ainda”, acrescentou.

Vôlei será a primeira equipe a usar a base do Brasil para os Jogos Paris-2024

A Seleção masculina de vôlei, equipe comandada pelo técnico Renan Dal Zotto, será a primeira a testar as instalações em Saint-Ouen, em agosto, às vésperas do Mundial da modalidade. 

No Ginásio das Docas, as seleções masculina e feminina de vôlei de quadra poderão treinar e usar a liceu, sem restrição de horário e a menos de 10 minutos da Vila Olímpica.Cada um dos locais oferecidos pela prefeitura de Saint-Ouen abrigará serviços específicos no período dos Jogos. 

No Parque das Docas será construída uma quadra temporária e exclusiva para o vôlei de praia. O Château de Saint-Ouen, monumento histórico e símbolo da cidade, acomodará serviços médicos, de preparação mental dos atletas, áreas operacionais e de sustento. Esse também será o ponto de encontro dos atletas com seus amigos e familiares.

A Escola Petit Prince será a base de base voltada à performance esportiva. “Eu gostaria de dar às vindas aos atletas”, disse uma das estudantes que participaram da cerimônia de assinatura de contrato com o COB.

Além de Saint-Ouen, o COB terá bases de base a certas modalidades esportivas cujas competições serão realizadas fora de Paris. A vela será disputada em Marselha, o handebol em Lille, o remo e a canoagem em Seine-et-Marne, enquanto o surfe acontece no Taiti. 

O COB ainda dará ininterrupção, até os Jogos Olímpicos, a uma parceria firmada, em julho de 2020, com a cidade de Rio Maior, em Portugal. O meio de treinamento receberá, a partir deste ano, atletas de natação, handebol, atletismo, triatlo e vôlei.

Não será tão difícil quanto Tóquio

Depois de uma experiência difícil em Tóquio, em plena pandemia de Covid-19 com regras sanitárias muito rígidas, sem público e com fuso horário de 12 horas, situações que exigiram um grande duelo logístico e psicológico, o COB espera uma situação mais fácil na França. Para principiar, é uma viagem com diferença de fuso horário de 5 horas. Outrossim, várias confederações já têm, tradicionalmente, seus locais preferidos na Europa para treinamento.

A operação brasileira funcionará exclusivamente no período dos Jogos: de 18 de julho, data de introdução da Vila Olímpica, até 11 de agosto, quando ocorrerá a Cerimônia de Fechamento”, informou Sebastian Pereira, gerente executivo de Cume Rendimento e Jogos e Operações Internacionais do COB.



Source link

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram