Governo e Congresso decidem ampliar Auxílio Gás e fabricar auxílio caminhoneiro

Foto: Dida Sampaio/Estadão/Registo
Congresso Vernáculo 21 de junho de 2022 | 18:33

Governo e Congresso decidem ampliar Auxílio Gás e fabricar auxílio caminhoneiro

A menos de quatro meses das eleições, o governo Jair Bolsonaro (PL) e o Congresso Vernáculo decidiram ampliar o Auxílio Gás e fabricar um auxílio para caminhoneiros porquê resposta à subida no preço dos combustíveis.

Os detalhes foram acertados em uma reunião entre o ministro da Moradia Social, Ciro Nogueira, e os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), nesta terça-feira (21).

A informação foi confirmada por técnicos e integrantes do Palácio do Planalto.

O Auxílio Gás foi criado em novembro do ano pretérito e paga 50% do valor de um botijão de gás de 13 kg às famílias beneficiárias a cada dois meses. Em junho, o valor do favor é de R$ 53, pago a 5,7 milhões de famílias.

Segundo fontes do governo ouvidas pela reportagem, para implementar a ampliação, um dos modelos avaliados é reduzir o pausa do pagamento, que passaria de bimestral a mensal.

Caso essa seja a opção escolhida, a tendência é vergar o dispêndio do programa, que hoje oscila entre R$ 275 milhões e R$ 300 milhões mensais.

No caso do auxílio, a expectativa é contemplar entre 700 milénio e 900 milénio caminhoneiros autônomos. O piso de R$ 400 pago no programa Auxílio Brasil tem sido uma referência nas discussões.

A autorização para as despesas deve ser incluída na mesma PEC (proposta de emenda à Constituição) que tramita no Senado e prevê uma indemnização aos estados pela redução de tributos sobre diesel e gás. Os valores ficam fora do teto de gastos, a regra que limita o desenvolvimento das despesas à variação da inflação.

Técnicos da extensão econômica ainda trabalham nas estimativas sobre o dispêndio suplementar das medidas.

Julia Chaib/Idiana Tomazelli/Thiago Resende/Folhapress

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram