Governo vai receber mais uma parcela de R$ 8,8 bilhões do lucro da Petrobras nesta segunda

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters
A zero, segundo o Estadão, faz secção de um totalidade, já anunciado nascente ano, de R$ 32 bilhões em dividendos que serão pagos até julho ao governo, maior acionista da companhia 19 de junho de 2022 | 10:05

Governo vai receber mais uma parcela de R$ 8,8 bilhões do lucro da Petrobras nesta segunda

Apesar das críticas ao lucro da Petrobras já feitas pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, o governo federalista está entre os maiores beneficiários dos resultados financeiros da petroleira. Nesta segunda-feira, 20, a União receberá mais uma parcela, de R$ 8,8 bilhões, do lucro da estatal, segundo informou o jornal O Estado de São Paulo.

A zero, conforme o impresso, faz secção de um totalidade, já anunciado nascente ano, de R$ 32 bilhões em dividendos que serão pagos até julho ao governo, maior acionista da companhia. Entre 2019 e 2021, a União já tinha embolsado em dividendos outros R$ 34,4 bilhões, a valores atualizados, segundo levantamento de Einar Rivero, da TC/Economática.

De convénio com o Estadão, quando se somam, ao lucro talhado à União, os impostos e os royalties, a Petrobras injetou nos cofres federais R$ 447 bilhões de 2019, início do governo Bolsonaro, a março deste ano, conforme dados dos relatórios fiscais da companhia, revelados pelo Estadão em maio.Considerando Estados e municípios, o montante chega a R$ 675 bilhões. Só o montante pago à União corresponde a aproximadamente cinco vezes o orçamento do Auxílio Brasil previsto para nascente ano, em torno de R$ 89 bilhões.

Desde o início do ano, para rebater as críticas de Bolsonaro e de líderes do Congresso Pátrio, a Petrobras vem ressaltando que seus ganhos retornam para a sociedade. A empresa informou que, em 2021, recolheu R$ 203 bilhões em tributos próprios e retidos, maior valor anual já pago pela companhia, um aumento de 70% em relação a 2020.

No primeiro trimestre de 2022, pagou mais R$ 70 bilhões aos cofres públicos entre lucro, tributos e participações governamentais, “praticamente o duplo do valor retraído no mesmo período de 2021”.



Economia

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram