Muricy cita caso de Mano e diz que não sentiu firmeza para assumir seleção

O técnico do Flamengo Muricy Ramalho voltou a falar sobre a sua recusa para assumir a seleção brasileira em 2010 e citou a situação de Mano Menezes para expor a falta de crédito que sentiu na conversa que teve com Ricardo Teixeira, no Rio de Janeiro.

“Ficamos três horas e meia conversando sobre o time para a Despensa do Mundo, mas eu senti que era uma coisa muito vaga. Basta ver o que aconteceu com o Mano (Menezes), que tiraram ele”, disse o treinador em entrevista ao Esporte Espetacular, da TV Orbe.

Mano foi chamado depois a recusa de Muricy e acabou despedido em 2012, depois uma série de maus resultados, incluindo a rota na final olímpica em Londres.

Muricy explicou que não gostou da arrogância de Teixeira na conversa, que dava uma vez que claro que ele aceitaria o invitação para assumir o missão de treinador.

“Acho que nunca aconteceu em nenhuma segmento do mundo de um técnico falar não para a seleção de seu país. Mas não senti firmeza na pessoa (Teixeira). E para eu concordar uma coisa, precisa ter parceria”, afirmou.

“Ele (Teixeira) é meio arrogante. No termo da conversa ele disse que já estava tudo claro para eu ser treinador da seleção brasileira. Mas eu disse que havia um problema. Disse que havia oferecido a vocábulo para o Fluminense, que ia permanecer dois anos. Ele me perguntou se eu tinha assinado um pouco com o Fluminense. Disse que não, que eles tinham minha vocábulo. O clube e a torcida tiveram muito carinho comigo”, explicou.

“Não me arrependo de zero. Fiquei lá e o Fluminense atropelou naquele ano”, disse o treinador em referência ao título brasílio daquela temporada.

 

 

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram