Quer ser um astrônomo amador? Aprenda a observar o céu com profissionais

Nesta semana, observadores de plantão testemunharam a Superlua de Morango — um evento celeste em que a Lua, em sua fase cheia, aparece ainda maior e mais viva.

Alguns estranharam a ausência do tom avermelhado, mas o “Morango” não tem nada a ver com a cor. O fenômeno foi batizado assim pelos nativos norte-americanos chamavam a Lua cheia de junho, porque esse é o mês em que a fruta amadurece no Hemisfério Norte.

Confira algumas imagens do mundo todo:

A próxima Superlua — a dos Cervos — ocorre já no próximo mês, em 13 de julho, e será a última do ano. Eventos da astronomia como este podem ser lindos, emocionantes e não tão difíceis de acompanhar quanto podem parecer.

Para você se preparar para olhar os céus um pouquinho mais de perto, Tilt separou dicas para observar os céus e enxergar além das estrelas.

Céu escuro

Para observar o céu o melhor horário é quando está escuro e sem nuvens.

“O grande problema com as cidades grandes é que tem poluição luminosa. A primeira coisa que digo é que quando estiver em um lugar escuro pare e olhe para cima que já dá para ver muito mais coisas”, explica Thiago Signorini Goncalves, professor do Observatório do Valongo (UFRJ) e colunista de Tilt.

Aplicativos

Se você é usuário do iPhone ou iPad, a Apple disponibiliza o aplicativo Star Walk. Basta direcionar o aparelho para o céu para obter detalhes como nomes e direções das estrelas.

Já o Google Sky é um serviço online que permite uma visualização do espaço. É semelhante ao Maps, mas em vez de navegar por países e continentes o usuário pode observar as galáxias. O programa usa imagens de observatórios espaciais pelo mundo.

Binóculos

Para avistar melhor o céu nem sempre é necessário um telescópio, um binóculo pode tornar alguns aglomerados estelares perfeitamente visíveis.

Astrônomos experientes costumam recomendar os binóculos para quem está iniciando na astronomia. Eles são mais baratos e mais fáceis de usar que os telescópios. Observar a Via Láctea com binóculos é uma sensação indescritível. Prefira os modelos com pouco aumento (de 7 a 10 vezes)
Gustavo Rojas, astrônomo da Universidade Federal de São Carlos

Telescópio  - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Telescópio

Se você estiver disposto a investir um pouco mais, os especialistas dizem que uma luneta simples com lente objetiva de 60 mm pode ser encontrada a partir de R$ 500.

“Não digo para comprar um telescópio de cara, porque é caro e a pessoa pode não usar tanto. Tem muito telescópio de baixa qualidade com uma ótica ruim, que a imagem não ficaria tão boa. Um aumento de 25 a 50 vezes já dá para ver muita coisa”, explica Signorini.

O que olhar?

Para quem está começando a observar o céu e ainda não sabe para onde apontar as lentes o alvo mais fácil de ver é a Lua.

O melhor momento para ver a Lua é quando ela está crescente ou minguante. Quando está cheia não dá para ver os detalhes porque a luz atrapalha
Thiago Signorini Goncalves, professor do Observatorio do Valongo

Perseidas  - Reprodução/Kenneth Brandon - Reprodução/Kenneth Brandon

Chuva de meteoros Perseidas

Imagem: Reprodução/Kenneth Brandon

Como encontrar uma estrela cadente?

As chamadas estrelas cadentes são, na verdade, meteoros e podem ser observados durante a madrugada em um local escuro.

“As melhores épocas são nas chuvas de meteoros, quando há uma atividade muito maior desse tipo de fenômeno”, explica Rojas.

Não desista!

A principal dica dos astrônomos é ter paciência.

“É necessário investir tempo e enfrentar noites geladas para se aprofundar nos segredos do Universo. Aproveite os recursos que a internet oferece, como aplicativos, sites e fóruns, e compartilhe suas experiências com outros entusiastas”, diz Rojas.

Outra forma de olhar o céu e entender melhor o que acontece no universo é procurar observatórios abertos ao público e participar de observações com astrônomos.

UOL Tecnologia by [author_name]

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram