Startup diz reduzir para "quase zero" rotina financeira do empreendedor

A Nimbly, startup brasileira, afirma reduzir para “quase zero” o trabalho quotidiano de empreendedores, CFOs e analistas financeiros de outros negócios. Seu serviço automatiza os principais fluxos de back office (serviços de “retaguarda” nos escritórios) das empresas, uma vez que faturamento e pagamento de contas.

  • Startups brasileiras reduzem operações e amargam demissões em volume
  • O que é startup?

A plataforma, por meio de lucidez sintético, recebe os boletos a remunerar diretamente dos fornecedores, valida o valor devido e envia diretamente ao banco. Para as cobranças recorrentes, são emitidas notas fiscais ou boletos e enviadas por e-mail ao cliente pagador. O sistema cria até réguas de cobrança, um tipo de roteiro para avisar devedores de forma sistemática.

Henrique Netzka, CEO e fundador da startup, abriu a primeira empresa aos 19 anos com o objetivo de desenvolver um software de organização de finanças pessoais. “Dentro dessa jornada, resolvemos muitas situações do back office que o ERP [sistema de gestão empresarial] não atendia de forma nativa. Ou seja, entendi que mesmo os programas mais complexos do mundo não atendiam às demandas das empresas brasileiras”, explica.


Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.

Fundador da startup Nimbly trocou a organização pela automação financeira (Imagem: Reprodução/Towfiqu barbhuiya/Unsplash)

Em 2012, Netzka idealizou o Tático ERP, uma plataforma mais simples, mas ainda muito robusta e modelada para as necessidades do mercado vernáculo. Em 2019, percebeu que precisava gerar um resultado que fugisse da organização de finanças e focasse na automatização delas. A partir dessa visão, a empresa “pivotou” (mudou de abordagem) e virou a Nimbly no ano seguinte.

No ano pretérito, a startup participou de uma rodada pré-seed e captou R$ 1 milhão com a Bossanova Investimentos e a Alvarez & Marsal. O investimento expandiu a superfície mercantil e de sucesso do cliente. Atualmente, o valor de mercado da startup está em R$ 20 milhões.

Leia a material no Canaltech.

Trending no Canaltech:

  • São Paulo x Palmeiras | Onde ver ao Choque-Rei pelo Brasileirão ao vivo?
  • 5 motivos para NÃO comprar a Fiat Toro 2022
  • Qual é o melhor celular para fotos em 2022?
  • Projecto gratuito da Netflix no Brasil? Não é muito assim
  • Os 7 melhores filmes de zumbi na Netflix
Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram